Primeiras impressões: Scooter Dafra Cityclass 200i

Conjunto agrada e desempenho é acertado;

Resultado de imagem para dafra cityclass

Dizer que o segmento de scooters tem futuro no Brasil é “chover no molhado”, afinal, crescem cada vez mais as vendas desses descendentes das Vespas, sobretudo em grandes cidades. Pensando neste sucesso, a Dafra, uma das marcas que mais investe neste nicho, acaba de lançar o Cityclass 200i no Brasil. A missão não é nada fácil: brigar com o Honda PCX 150, líder na categoria.

Unindo a agilidade de uma moto com mais comodidade e praticidade, os scooters têm feito muita gente deixar o carro em casa para chegar ao trabalho mais rápido.

Mas está errado quem pensa que o maior sucesso está nos produtos mais baratos, o próprio PCX não está na base de preço, custando R$ 9.015, e o Cityclass chega também nesta faixa: R$ 9.990. Modelos de entrada como Honda Lead (R$ 7.012) e Suzuki Burgman i (R$ 6.990), custam menos. A Dafra não possui produto neste patamar no momento, desde que o Smart 125 saiu de linha, mas já confirmou que terá um substituto ainda neste ano.

“A Dafra consegue vender bem quando oferece mais que as concorrentes em um produto”, afirma Creso Franco, presidente da montadora. Ao menos em sua ficha técnica, a marca brasileira fez exatamente isso. Comparado ao PCX, o modelo oferece motor de maior cilindrada e com mais potência e torque (veja comparação na tabela abaixo).

Suas dimensões também são maiores, passando impressão de mais robustez que o rival. As rodas do Cityclass são de 16 polegadas, tamanho bom para superar as irregularidades do solo – no PCX, elas são de 14 polegadas.

O espaço embaixo do assento é similar entre os dois scooters, oferecendo o suficiente para acomodar um capacete, mas o PCX leva pequena vantagem pela parte extra para levar mais alguns objetos ao lado.

Com estas credenciais, resta saber se o Cityclass possui um conjunto mecânico acertado para o exigente mercado brasileiro de motos. Para responder a esta questão, o G1 avaliou o modelo por 300 km, em deslocamentos urbanos e também na estrada.

Resultado de imagem para cityclass x pcx

Versátil

Apesar da cilindrada extra, quando comparado ao PCX, os dados de desempenho são apenas levemente superiores no Cityclass. Com câmbio automático do tipo CVT, o modelo Dafra possui motor de 199,1 cc e 1 cilindro, com injeção eletrônica, que gera 13,86 cavalos de potência a 7.500 rpm e 1,41 kgfm de torque a 6.000 rpm.

Os números são bem próximos ao do PCX, que tem motor menor, de 153 cc, e chega a 13,6 cv a 8.500 rpm e 1,42 kgfm a 5.250 rpm. Vale ressaltar que o modelo Honda possui sistema “start-stop”, que desliga o motor automaticamente nas paradas e ajuda a diminuir o consumo de combustível, algo que o Cityclass não tem.

Pelo volume do motor, cerca de 25% maior que o PCX, a expectativa era de um desempenho bem superior ao do modelo da Honda, o que não se reflete na realidade. No entanto, esta capacidade maior na cilindrada deu espaço para que a marca trabalhasse com certa folga para atingir o desempenho.

admin

admin

Deixe seu comentário